quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Retorno

Sim, sim, eu sei que faz um tempo que não atualizo o blog... por isso, hoje farei um resumo do que rolou no último mês.
Voltei a correr, finalmente, depois de 2 meses parada devido à uma lesão no músculo da coxa. Fiquei  muito contente, pois meus tempos na corrida baixaram quase 1min no pace. Uau! Será que se ficar mais tempo sem correr, voltarei correndo para 3:45 min/km?  : )
Com isso, fiquei bem motivada para voltar a participar de provas. Como quem procura acha, achei uma bem legal, porém de travessia.
Dia 07 de setembro ocorreu uma Ultramaratona com distâncias de 50km e 100km. Não, não, não fiz essa não. Participei dela de outra maneira, como staff. Auxiliei meu sogro e um amigo dele. Acabou que meu noivo o Felipe e eu também acabamos correndo um pouco para motivar os dois corredores.
No domingo, dia 08, foi o dia da minha prova, a Maratona Aquática de Guaraqueçaba, organizada pela Correr e Nadar. As distâncias eram de 600m, 1.5km e 3km.
Chegou o horário marcado (na verdade atrasou um pouco) e pegamos o barco para a largada, que foi feita dentro do mar. As bóias estavam dispostas em linha reta, o que fazia parecer as distâncias bem maiores! Saltaram os nadadores dos 3.000m e fomos acompanhando de dentro do barco, até nossa bóia de 1.500m.  Pulamos para nos esquentar, pois a água estava fria, deu tempo de dar duas braçadas e a largada foi feita. Nadei com uma única estratégia, nadar o mais forte possível, possibilitando que eu chegasse bem. Quando vi a bóia de 600m só pensei: “Tô em casa!”.
A chegada foi em um trapiche. Quando coloquei o pé na escada, dei stop no Garmin, esperando ter batido o meu objetivo, 28 min. Para minha surpresa fiz em 25min20seg!!! Acabei ficando em 6a posição no geral e 1a da minha categoria 25 – 29 anos.
Tomei água, comi uma banana seca e ouvi o organizador da prova convidando os participantes dos 3 e 1.5km que estivessem bem para participar da prova dos 600m. Pensei um pouco e fui!
Como as provas de 600m são mais para iniciantes, era para nós ajudarmos quem precisasse de ajuda. Pegamos o barco novamente e pulamos na água. Deu a largada e comecei a nadar. Vi um nadador que parece um pouco nervoso (André). Ele nadava de costas, parava, olhava para trás e eu pensei que teria que ajuda-lo. Fiquei ali com ele, conversei, tentei tranquilizar, fui nadando ao lado e quando vimos já tínhamos chego. Foi uma experiência ótima para ambos! Fiquei muito feliz por ter ajudado ele em sua primeira travessia e ele ficou feliz por ter vencido os medos e ter completado a prova.
Duas semanas antes dessa travessia, ocorreu na praia de Caiobá um treino com as mesmas distâncias de um meio Ironman (2km de natação, 90km ciclismo e 21km de corrida).  Fui lá para participar da natação.
Uma atleta que treina comigo na mesma assessoria que eu tinha (Paula) muito medo de nadar no mar, então ofereci para ela nadar comigo. Eram 4 voltas de 500m. Fizemos 2 voltas juntas e foi ótimo. Ela perdeu o medo e acabou gostando de nadar no mar.
Nesse mês acabei ganhando 2 afilhados do mar e acima de tudo, 2 amigos muito queridos, que espero que desenvolvam o mesmo amor que tenho em nadar no mar.

O esporte muda mesmo nossas vidas, trazendo sempre boas surpresas e ótimas histórias!!!

                                                                       Eu e André

                                                                      Eu e Paula

2 comentários:

  1. Júliah, parabéns "madrinha do mar"! Sua iniciativa em ajudar os outros é muito bonita e merece o elogio. Fiquei feliz com seu resultado nos 5k. Tá voando menina. Parabéns mesmo!!!
    beijos
    Helena
    Blog Correndo de bem com a vida
    @Correndodebem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helena querida, obrigada! Acho que ajudar os outros é a melhor parte de tudo. Ver as pessoas se superando é emocionante demais.
      hahaha Só se for voando para o carro né!! Estou me esforçando!
      Muito obrigada pelo incentivo
      Bjs

      Excluir