sexta-feira, 28 de junho de 2013

Treinar em esteira

Esse post quem vai escrever é o Felipe, já que ele é "especialista" em treinar na esteira, porém com esse tempo mega chuvoso, eu também já estou ficando craque no assunto.

Se você acha que um minuto passa rápido você nunca esteve numa esteira.

Meu trabalho me impõe uma rotina diferente de 90% da população. Metade do mês eu trabalho "preso" em uma plataforma de petróleo e a outra metade passo em terra. É uma rotina diferente que eu me acostumei bem. O único problema nela é que quando estou embarcado o único jeito de treinar e na esteira. Faz quase um ano que corro então meu tempo de esteira é de mais ou menos 6 meses. Aprendi algumas macetes de como treinar com esteira e vou dividir com vocês:

Footpod
-Esteiras são imprecisas: se você for confiar na esteira pra dizer qual a velocidade ou distancia que você está treinando esqueça. A maioria erra e isso pode frustar um pouco teu treinamento por achar que você não está rendendo quanto deveria. A esteira que treino hoje erra em quase 10%. Ou seja, se ela está marcando que corri 10 km eu já corri 11 km. O que eu uso hoje para contornar isso é o Footpod (ou pedômetro) . O footpod é um acelerometro que você prende em um dos tênis. Ele se conecta com o seu computador de corrida e transmite os dados que recolhe da passada. Não são todos computadores que aceitam e alguns footpods só funcionam com alguns tipos de computador. Se bem calibrado ele vai te indicar a distancia percorrida assim como o pace. Pela minha experiência dá pra confiar bem nele. Outra alternativa é treinar por tempo. Ai não tem erro, qualquer relógio vai te servir. Pela sua experiência você pode estimar a distancia percorrida.

-Esteiras são chatas: todo mundo sabe. Passar 30 minutos na esteira é difícil, pior ainda 1 hora e 40 minutos. Esse foi o tempo máximo que já suportei na esteira. É um exercício de paciência e força de vontade. Diversos são os artifícios que você pode usar para tentar ajudar. O mais conhecido é a música. Eu sempre trago comigo o MP3 player mas consigo correr sem. O ideal é colocar músicas mais agitadas, músicas lentas "quebram o clima". Pensar também me ajuda muito. Quando penso em desistir (não por fadiga ou lesão..) lembro que tenho que estar feliz pela oportunidade que estou teno de praticar um esporte que gosto e pelo beneficio que tenho em faze-lo. Também penso que quanto mais tempo passo ali na esteira mais perto estou de chegar no meu objetivo, seja de terminar uma prova ou baixar meu tempo. Sei que se apertar aquele botão vermelho será uma alegria passageira, que daqui 15 minutos vou estar arrependido de não terminar o treino. Nunca parei um treino em esteira por estar me sentindo entediado mas diversas foram as vezes que tive vontade de parar.

-Esteira não tem feeling: é difícil correr por "feeling" na esteira. O calor da academia aliado a falta de percepção de velocidade fazia com que treinasse sempre em velocidades inferiores da que deveria treinar. Percebi e contornei isso usando um frequencimetro e um podometro. O frequencimetro funciona mais ou menos como um "conta-giros" para mim e consigo saber se estou abusando ou não do meu motor. Treinar com frequência cardíaca não é difícil e um treinador pode ajudar. Hoje consigo correr na esteira com um pace quase igual ao que eu corro em terra.

-Esteiras são muito boas pra treinar intervalos: a tendencia de quando treinamos intervalos é deixar o ritmo cair conforme vamos repetindo as series. A esteira não te deixa fazer isso. Programando a mesma velocidade a cada repetição você é obrigado a manter-se nela. Claro, se abusar da velocidade no começo pode ser que não aguente até o final do treino, mas é para isso que você pode usar o frequencimetro e/ou o podometro.

-Esteiras são perigosas: muita gente não usa aquela cordinha de segurança que algumas esteiras possuem. Em caso de queda ela asseguram que a esteira pare no momento em que você caiu evitando que você seja lançado para trás. Usar ela pode ser a diferença entre uma leve escoriação no joelho e uma lesão mais séria que te deixe afastado das atividades físicas. Faça do ato de prender a cordinha um hábito e nunca mais corra sem ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário