quinta-feira, 6 de junho de 2013

As dores da corrida

Sabe aquele incomodo, uma dorzinha que começa bem perto das costelas, que aparece do nada quando estamos correndo?  Então, esse é um problema que me incomoda demais! Não tem um treino se quer que eu não sinta aquela famigerada dor do lado. E quem já não sentiu?
O problema é que ela atrapalha muito o rendimento na corrida. Inúmeras vezes já fui obrigada a parar e andar até que a dor passasse, ou pelo menos diminuir bastante o ritmo.Essa dor é uma pontada forte sentida logo abaixo da costela. Pode ser causada por alguns motivos: 

- Esforço físico muito grande, maior do que o corpo pode agüentar. Pode ser falta de condicionamento físico também;

- Respiração errada, muito superficial e rápida demais;
- Estômago cheio.

Para acertar a respiração é interessante, pelo menos para os iniciantes, iniciar a corrida com uma caminhada ou com ritmo mais lento para a respiração se ajeitar. O ar deve ser inflado para o abdômen, sem levantar os ombros e estufar o peito. Também é legal expirar de maneira mais forte e prolongada, para eliminar os gases que se acumulam pela respiração errada e ocasionam essa dor. Quanto a alimentação, não é bom exagerar antes de sair para correr. Esperar o estômago esvaziar, evitando comer antes do treino leite e seus derivados, fibras e cereais. 

Ainda não consegui saber exatamente o que estou fazendo de errado, às vezes é uma mistura de fazer um lanchinho rápido antes e sair para treinar e não prestar muita atenção na respiração. O que me conforta é que elas estão diminuindo bastante e muitos treinos já não sou mais obrigada a andar, apenas a conviver com ela.

Outro incômodo são as dores no joelho. Esse é um problema tão freqüente que existe até uma situação clínica chamada “joelho de corredor”. São vários as causas para esse problema:

- Desalinhamento do joelho, causando  pontos de contato inadequados entra a patela e o fêmur, aumentando a pressão entre essas estruturas. O desalinhamento pode acontecer durante a corrida se o joelho cair para dentro quando o pé está no chão ou pode ser genético

- O impacto do corpo com o solo durante a corrida é de aproximadamente 3 vezes o peso corporal. Logo após o pé encostar no chão os músculos têm que amortecer esse impacto. O joelho se dobra aproximadamente 40 graus e o músculo quadríceps (anterior da coxa) se contrai para cumprir essa função. Se existe uma falha na força ou na coordenação do quadríceps o joelho dobra mais do que deveria, o que aumenta a pressão entre a patela e o fêmur, gerando dor ao longo do tempo e repetições;


- Pronação excessiva do pé (pé caído para dentro) também pode desalinhar o joelho, além de comprometer a absorção de impacto;

- Aumento brusco da intensidade dos treinos ou um volume de treino exagerado pode sobrecarregar o joelho além de seu limite;

Prevenção:

- Fortalecimento dos músculos quadríceps (anterior da coxa), glúteo médio (lateral do quadril) e glúteo máximo (posterior do quadril);

- Correções de vícios e postura. Manter o corpo ereto,  como se existisse uma linha imaginária que te levantasse para cima pela cabeça;

- Treinar corretamente sem exageros

- Usar tênis adequado.

Eu já sofri muito, muito, muito mesmo com meus joelhos. Porém, com o tênis correto e os médicos corretos superei e isso já não é mais um problema para mim.



E você, já teve algum desses problemas? como conseguiu superar? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário