quinta-feira, 30 de maio de 2013

Estreia + IRONMAN!

Esse é meu primeiro post no blog. Foi um pouco difícil e demorado para escrever, porque as idéias são milhares, mas faltam as palavras na hora em que precisamos delas.
O meu objetivo com o blog é falar sobre triathlon, meus treinos, provas, materiais… enfim, coisas relacionadas à natação, ciclismo e corrida.
Acho que nada mais legal do que começar falando sobre o Ironman Brasil 2013, que aconteceu nesse final de semana, em Florianópolis – SC. A largada ocorre às 07h00 com término às 00h00. A prova consiste em 3,8km de natação, 180,2km ciclismo e 42,2km de corrida corrida.
É simplesmente uma das maiores provas de triathlon do mundo. Digo uma das, pois existe uma prova mais insana ainda, com duração de 3 dias, chamada Ultraman (meu sonho de consumo), que com certeza falarei mais sobre ela outro dia.
Acompanhar o IM foi muito emocionante. Ao longo do percurso, me emocionei inúmeras vezes vendo os atletas se esforçando ao máximo naquela loucura. A natação é legal (minha parte preferida), mas não parece ser tão desafiadora assim, comparando com o resto da prova. As transições chegam a ser divertidas. Presenciei muitas pessoas desesperadas pois não achavam suas coisas, outras caindo, alguns que simplesmente sentaram para tomar café da manhã e trocar de roupa. É um lugar legal para ficar na saída da natação para o ciclismo.
No começo da tarde, peguei meu carro e fui dar umas voltas por lá, para acompanhar a prova de maneira mais interativa. Acabei me perdendo e entrei em diversas ruas erradas. Me surpreendi quando em uma das ruas encontro o 1. lugar, Tim O’Donnell (EUA) correndo. Acabei acompanhando ele, super sem querer, até os últimos 5km finais. Foi demais! Ele simplesmente bateu o recorde mundial com 08h01min (!!!). Assim como seu compatriota, acompanhei a Amanda Stevens bem de perto, que também estabeleceu novo recorde feminino com 09h05min.
O que me surpreendeu com a Stevens é que ela é médica, triatleta e muito querida. Faltando uma hora para o término da prova, ela apareceu na linha de chegada para saudar os últimos homens de ferro e entregar toalhas para eles se cobrirem! Quando achava que já tinha tido minha cota de emoções do dia, novamente fiquei impressionada com esse gesto.
Creio que ser triatleta é ter uma cabeça muito boa para agüentar o dia-a-dia puxado, ser muito dedicado, mas acima de tudo, aprender a ser mais cordial e ser mais agradecido com o mundo.
Acabei de ingressar nesse mundo apaixonante e não pretendo sair nunca mais. Então, qualquer dúvida, crítica, sugestão, incentivo, qualquer coisa, será muito bem vindo!

2 comentários:

  1. Foi recorde mundial? Acho que não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adolfo, você tem razão. Foi um descuido meu. Foi recorde para o IM Brasil. Muito obrigada

      Excluir